top of page

ME FALARAM QUE EU NÃO TENHO NADA DE ERRADO

Atualizado: 12 de jun. de 2023

Ainda assim você se sente confuso, perdido, inadequado, se duvidando. Mesmo vivendo vidas normais e não encontrando nada de errado que poderia estar causando sofrimento podemos nos sentir assim


Eis aqui um ponto de vista que pode te fazer pensar um pouco sobre este mal estar que aparentemente não tem nenhuma explicação.



Às vezes podemos ter experiências bastante confusas e desorientadoras mesmo que aparentemente não sejam vistas assim.


Viver nos traz uma grande variedade de sentimentos que por vezes não sabemos como classificar, ou então, podemos contar com uma classificação errônea de um terceiro que nos leva à duvida: "É mesmo pra tanto?".


Para começar esta exploração devemos saber que um trauma é gerado partir de uma vivência que traz emoções dúbias e às vezes difíceis de processar por serem insuportáveis.


E há algumas falas ou idéias estabelecidas que ao invés de serem uma ferramenta para esclarecer essa vivência estranha, a deixam mais confusa ainda.



O que se fala por aí


"Ah vai, você gostou sim"

"Se doeu é por que valeu" "Estou te batendo por que eu te amo" "Isso é normal"

"Isso não é verdade"


São exemplos de falas que podem levar à dúvida e até ao enlouquecimento.

Quando uma vivência traumática é negada, recusada, desmentida, a experiência que se tem é a de perder o chão, podendo levar até a desrealização ou despersonalização.


A partir de uma vivência perturbadora desmentida podemos adoecer.



O desmentido

O desmentido é um conceito que o psicanalista suíço Sandor Ferenczi propôs enquanto estudava o trauma. Dizia ele que o desmentir é parte integrante da construção de um trauma.


O contrário do desmentir é o acolher, validar, levar em consideração. É na validação que podemos fazer sentido do que aconteceu realmente e evitar que determinada experiência não fique alojada em nossa psique de forma tão perniciosa.

O desmentido representa um ataque à capacidade de simbolização de alguém, um ataque ao pensamento e não deixa espaço para a construção de hipóteses mais realistas sobre o acontecido.


Ao invés de desmentir, testemunhar


O testemunho é considerado uma forma de posicionamento da pessoa diante de alguém que sofre que pode ter um papel importante na cura emocional.


Através do ato de testemunho, a pessoa que conta sua história pode elaborar traumas, medos e angústias. Além disso, o testemunho pode ajudar na reconstrução de narrativas pessoais e na construção de uma identidade mais autêntica.


O uso adequado da escuta empática e do acolhimento podem ajudar na transformação positiva das experiências traumáticas, possibilitando que a pessoa se sinta mais conectada com suas emoções e com sua própria história.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments

Rated 0 out of 5 stars.
No ratings yet

Add a rating

Psicóloga Bruna Lima

CRP 06/130409

Bruna Lima Psicóloga Clínica

Psicblima@gmail.com

+55 11 99411-3832

Bruna Lima é psicóloga clínica com mais de 5 estrelas no Google. Graduou-se em Psicologia pelo Centro Universitário FMU  e tem 10 anos de experiência em psicologia clínica.

Cadastrada E-psi, atende on-line a brasileiros expatriados há 10 anos.

Possui três especializações/certificações em psicanálise pelas instituições:

Bruna também é colunista no AllPopStuff e tem um canal no YouTube.

Com sua sólida formação, Bruna utiliza abordagens psicanalíticas personalizadas para ajudar cada paciente adulto.

Oferece atendimento online e presencial. Entre em contato para agendar.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Instagram
psicologa-bruna-lima.JPG
bottom of page