top of page

Psicanálise é Ciência, Sim


A psicanálise é uma forma profunda de entender como nossa mente funciona, algo que pode ser útil para quem está buscando entender mais sobre a mente. Embora não seja exatamente uma ciência como a física ou a química, ela é considerada uma "ciência do conhecimento", também chamada de "epistemologia".


"Epistemologia" é uma palavra complicada, mas pense nisso como o estudo de como sabemos o que sabemos. A psicanálise está interessada em entender como nossa mente trabalha e como chegamos a saber as coisas sobre nós mesmos.



Um divã


O "empirismo" é uma parte importante disso. Isso significa que aprendemos muitas coisas através da nossa experiência - aquilo que vemos, ouvimos, tocamos e sentimos ao nosso redor.

Na psicanálise, os psicanalistas e os psicólogos observam cuidadosamente como as pessoas pensam, se sentem e interagem em sessões clínicas, por exemplo. Eles usam essa observação para desenvolver teorias e compreender melhor como nossa mente funciona. Isso ajuda a melhorar sempre o atendimento sobre questões psíquicas e atendimento. Sendo assim sempre haverá algo novo a ser descoberto.

A psicanálise é rigorosa em sua abordagem, mesmo que não seja uma ciência "tradicional". Ela busca entender os aspectos fundamentais da mente humana, e isso pode ser valioso para quem está em busca de ajuda para entender melhor a si mesmo e superar desafios emocionais.


Psicanálise e Ciência .pdf


Enquanto a classificação da psicanálise como uma ciência é debatida, alguns autores abordaram essa perspectiva em suas obras, explorando a relação entre a psicanálise e o domínio científico. Aqui estão alguns livros que oferecem visões interessantes sobre a psicanálise como uma disciplina científica:



(Why Psychoanalysis?) por Elisabeth Roudinesco: Este livro oferece uma defesa da psicanálise e explora a relevância contínua dessa abordagem na psicologia e no campo das ciências humanas.

"[..] De fato, ela mostrou que, quase sempre, são os estudiosos mais positivistas e mais apegados aos princípios da ciência pura e exata que elaboram as teorias mais extravagantes e mais irracionais sobre o cérebro e o psiquismo, a partir do momento em que pretendem aplicar seus resultados à totalidade dos processos humanos. A busca da racionalização integral, que, no fundo, visa a dominar a fabricação do homem, não passa de uma nova versão do mito de Prometeu." -Elisabeth Roudinesco.

2. "Freud"


Por Richard Wollheim: Este livro explora as relações entre Freud e a ciência, analisando como as ideias de Freud podem ser consideradas em um contexto científico.


“A psicanálise teve origem na terapia. Se não tivesse, a terapia teria saído da teoria, pois a relação da terapia com a teoria na psicanálise é apenas um exemplo especial da maneira pela qual toda ciência empírica permite uma aplicação prática." * - Richard Wolheim


Por Frank Sulloway: Ele argumenta que Freud era um biólogo de mente e explora a relação entre a biologia, a psicologia e a psicanálise, destacando como a abordagem de Freud pode ser considerada científica.


"As inovações psicanalíticas de Freud - a saber, sua abordagem psicológica dinâmica do comportamento humano - transformaram seu pensamento posterior sobre a mente em uma ciência psicológica independente."- Frank Sulloway


Sim, a Psicanálise é Ciência


A psicanálise, de maneira inerente, é uma disciplina "encarnada", enraizada na prática clínica onde o mundo real ganha vida através do paciente. Nesse espaço, os analistas e psicólogos assumem o papel de observadores cuidadosos, imersos em uma busca científica.


Bernardo Tânis, ex presidente da Sociedade Brasileira de Psicanálise de São Paulo, coloca de forma perspicaz que é necessário manter uma certa distância, uma estranheza, para olhar como um "cientista", o que enfatiza a abordagem analítica qualitativa, que reconhece que o psiquismo não existe em isolamento do mundo em que vivemos.


Contudo, é vital reconhecer que a psicanálise, como qualquer disciplina, pode, às vezes, correr o risco de cair no campo da "bobagem", o que reforça a importância da atitude científica.


O modo de produção do saber na psicanálise tem suas particularidades, é epistêmico, fundado na investigação rigorosa da experiência humana.


A essência da psicanálise transcende o âmbito individual. Ela é uma ciência social, cognitiva e empírica, estreitamente entrelaçada com o mundo e as pessoas que o habitam. A disposição para se submeter a testes e questionamentos é intrínseca à sua natureza científica, refletindo a abordagem de Freud ao apresentar suas descobertas à comunidade médica.


Uma das características mais fascinantes da psicanálise é sua capacidade de abordar a vastidão da vivência humana. Por sua natureza abrangente, a psicanálise não oferece respostas absolutas, mas sim uma compreensão enriquecedora da complexidade da vida. É essa ambição de decifrar o intrincado labirinto da experiência humana que a torna uma ciência tão valiosa, desafiadora e em constante evolução.




Psicanálise e Ciência na História


A história da relação entre a psicanálise e a ciência é rica em complexidade e evolução. Desde as raízes lançadas por Sigmund Freud no início do século XX, a psicanálise se viu em um território peculiar entre a filosofia e as ciências experimentais. Muitos, como Jacques Lacan, psicanalista, reconheceram a importância de trazer à tona aspectos da psique humana que escapavam ao escrutínio das ciências da época.

A psicanálise, por outro lado, não se encaixava facilmente no conjunto de ciências experimentais, onde a validação por meio de testes controlados é fundamental. Ao invés disso, a psicanálise conta com a própria experiência no consultório. A sua ênfase no entendimento particular de cada indivíduo e a atuação nas nuances da linguagem e da subjetividade tornaram-na mais uma ciência conjectural do que uma ciência no sentido tradicional, "hard science".

No entanto, assim como na cultura, a p sicanálise encontrou um espaço valioso, preenchendo lacunas que outras disciplinas não conseguiram abordar. Seu foco na verdade interior e a exploração dos mistérios da mente continuaram a intrigar e ajudar muitos ao longo das décadas e até hoje a psicanálise continua a expandir seu corpo de conhecimento.

Enfim, a psicanálise, apesar de não se enquadrar totalmente no paradigma das ciências experimentais, possui um lugar respeitado e influente na compreensão da psicologia e da condição humana. A sua atuação na análise profunda da linguagem e da subjetividade, e a ênfase na cultura e no "outro", enriquecem nossa abordagem das complexidades mentais, mesmo em um mundo onde a ciência moderna estabelece padrões rigorosos p ara validação.

Conclusão

A tal psicanálise, apesar de não ser uma ciência nos moldes tradicionais, desempenha um papel fundamental na b usca por um entendimento mais profundo da mente humana.

Através de uma abordagem que combina observação clínica, reflexão e uma atitude científica rigorosa, os psicanalistas e psicólogos exploram as complexidades do nosso mundo interno e as interações com o mundo exterior.

Embora a psicanálise possa ser vista como uma "ciência do conhecimento", ela não se limita a respostas absolutas. Em vez disso, oferece uma perspectiva valiosa para aqueles que buscam compreender a si mesmos, enfrentar desafios emocionais e explorar os mistérios da experiência da nossa espécie e do nosso mundo.

Através da intersecção entre teoria e prática, a psicanálise enriquece nosso entendimento da mente e nos convida a uma jornada de autoconhecimento e evolução contínua de conhecimento.



Fontes Amir, D. Psychoanalysis on the Verge of Language: Clinical Cases on the Edge. By Routledge, 2021. FREUD, S. A Interpretação dos Sonhos. Tradução de Renato Zwick. Editora Imago, 2013.

FREUD, S. O Futuro de uma Ilusão. Tradução de Paulo César de Souza. Companhia das Letras, 2007.

Freud, S. (1996). Linhas de progresso na terapia psicanalítica. In Edição Standard Brasileira das Obras Psicológicas Completas de Sigmund Freud (Vol. XVII). Rio de Janeiro: Imago. (Trabalho original publicado em 1919[1918]

Biazina, R. R. , Kessier, C. H. Kessler. Psychoanalysis and science: the equation of the subjects. Psicologia USP, 2017. ROUSTANG, François. Lacan e a Ciência. Editora Escuta, 2003, p. 873.

KERNBERG, Otto F. A Psicanálise é uma Causa Perdida? Editora Artes Médicas, 2000.

WOLLHEIM, Richard. Freud e a Ciência. Tradução de Sandra Regina Felgueiras. Editora Campus, 1986.

SULLOWAY, Frank J. Freud: Biólogo da Mente. Tradução de Milton Persson. Editora Perspectiva, 2013.

Read our other articles. Leia nossos artigos.

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios

Obtuvo 0 de 5 estrellas.
Aún no hay calificaciones

Agrega una calificación

Psicóloga Bruna Lima

CRP 06/130409

Bruna Lima Psicóloga Clínica

Psicblima@gmail.com

+55 11 99411-3832

Bruna Lima é psicóloga clínica com mais de 5 estrelas no Google. Graduou-se em Psicologia pelo Centro Universitário FMU  e tem 10 anos de experiência em psicologia clínica.

Cadastrada E-psi, atende on-line a brasileiros expatriados há 10 anos.

Possui três especializações/certificações em psicanálise pelas instituições:

Bruna também é colunista no AllPopStuff e tem um canal no YouTube.

Com sua sólida formação, Bruna utiliza abordagens psicanalíticas personalizadas para ajudar cada paciente adulto.

Oferece atendimento online e presencial. Entre em contato para agendar.

  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Instagram
psicologa-bruna-lima.JPG
bottom of page